22 jul 2016

Trapaça: conheça a capinha que garante 100% todas as capturas de Pokémon GO

Capturar pokémons não é uma tarefa tão fácil quanto parece. Em Pokémon GO, os jogadores devem realizar o movimento de deslizar o dedo na tela para lançar a pokébola, mas é preciso se acostumar com o comando para ter a precisão correta. Entretanto, alguns usuários já descobriram alguns truques e já criaram alguns recursos especiais para garantir a captura com 100% de chances.

Um deles é este case impresso em 3D por equipamentos especiais que cria um “limitador” no display, fazendo com que o usuário realize o movimento exato para capturar o pokémon. A capinha é exclusiva para modelos de iPhone 6 e 6s por enquanto.

FONTE(S)

IMAGEN(S)

Share this
21 jul 2016

A Google sabe quais perfis você visita no Facebook; veja como apagá-los

Interternautas que usam uma conta Google para acessar redes como Facebook, Twitter ou YouTube podem ter suas ações delatadas através dos navegadores. Acontece que os serviços da “Gigante das Buscas” registram todo o histórico de pesquisa do usuário: significa que os perfis visitados durante uma sessão de login podem ser visualizados a partir das “minhas atividades”, via Gmail, por exemplo.

Neste tutorial, você vai aprender a gerenciar os registros de atividades através de uma conta Google. Essa dica é fundamental a usuários que desejam proteger sua privacidade, pois as pesquisas feitas através do Facebook ou Twitter podem ser vistas sem que uma sessão tenha necessariamente de ser iniciada junto das respectivas redes sociais.

Atenção: o histórico de pesquisas é registrado também por perfis de Facebook que usam uma conta Hotmail para o login. O gerenciamento das atividade pode ser feito a partir de qualquer navegador (tais como Mozilla Firefox, Google Chrome ou Microsoft Edge).

Como apagar os registros de atividade

1 – Faça seu login usando a mesma conta Google que dá acesso ao seu Facebook clicando aqui. Nota: se você usa um endereço Hotmail para acessar suas redes sociais, faça também o login através de uma alternativa Gmail para checar os registros de navegação feitos.

                           

 Use sua conta Gmail para acessar as opções de gerenciamento de atividades.

2 – Na página aberta, clique em “Informações pessoais e privacidade”.

                                                                                                       

Clique em “Informações pessoais e privacidade”.

3 – Em seguida, abra o campo “Minha atividade (Acesse Minha Atividade)”.

                               

Os dados associados à sua conta Google podem ser gerenciados através desta opção.

4 – Agora, basta pesquisar por um item em específico e, então, gerenciá-lo. Para visualizar os registros feitos pelo Google sobre suas redes sociais, procure por “Facebook” ou “YouTube ”e clique sobre o botão de lupa (perfis visitados e vídeos assistidos através do Facebook serão exibidos a partir desta tela).

                              

Qualquer item relacionado à sua conta Google pode ser pesquisado a partir desta página.

Se você deseja excluir todo o histórico, clique sobre os três pontos e, por fim, em “Excluir resultados”. Selecionar atividades específicas e então apagá-las é também possível: clique sobre uma ação, como vídeo assistido ou perfil de amigo visitado e remova a informação das suas atividades.

                                                                                                                                      

Confirme a ação em “Excluir”.

Enxugue seu histórico

Pesquisas sobre qualquer item podem ser feitas a partir do campo de buscas das opções de gerenciamento. Significa, assim, que é possível apagar também as atividades registradas a partir de um aparelho Android ou qualquer outro serviço conectado através da conta Gmail informada.

Share this
21 jul 2016

Uau! Facebook faz 1º voo com drone que deve levar internet a todo o mundo

há algum tempo, um time dedicado do Facebook vem trabalhando com bastante afinco para superar as barreiras – físicas e burocráticas – da distribuição da internet pelo mundo. O modo escolhido por Zuckerberg e sua equipe para tentar levar a web a um público que, hoje, está offline, foi apostar em equipamentos voadores alimentados por energia solar. Assim, depois de meses de testes com modelos menores, a empresa finalmente realizou o primeiro voo de seu drone Aquila – que superou boa parte das expectativas iniciais.

A ideia é que o VANT (Veículo Aéreo Não Tripulado) ajude na tarefa de conectar 1,6 bilhão de pessoas por todo o globo e que faça esse trabalho de forma autônoma e com baixo custo energético. Claro que, para cumprir esses requisitos, o brinquedinho tem um tamanho de respeito e lembra muito pouco os drones tradicionais. Com uma estrutura feita em fibra de carbono, o veículo é leve e resistente, mas, ao mesmo tempo, apresenta uma envergadura superior à de um Boeing 737 – passando facilmente dos 40 metros.

Olha só o tamanho do brinquedinho!

 Com esse conjunto, o objetivo da empresa é que cada Aquila cubra uma área de quase 100 quilômetros de extensão em solo enquanto eles realizam voos que podem durar até 90 dias – tudo isso gastando uma quantidade bem reduzida de energia. Como não poderia deixar de ser, o Facebook registrou todos os momentos do experimento em vídeo e compartilhou a compilação de “antes, durante e depois” na própria rede social, dando um gostinho do que o projeto significa para a companhia.

Planando para o futuro

Embora o veículo “só” tenha voado a 40 km/h e a uma altitude de 2 mil pés – bem abaixo dos 128 km/h e 60 mil a 90 mil pés previstos para a fase final da empreitada –, a duração da viagem surpreendeu todos os envolvidos. O plano era que o trajeto aéreo se alongasse por 30 minutos antes que o equipamento voltasse à terra firme, mas o desempenho do equipamento foi tão bom que resolveram mantê-lo nos céus por 1h30.

Esse tempo adicional perambulando pela região de testes, no estado do Arizona, permitiu ao drone coletar ainda mais dados sobre a iniciativa e até a respeito do próprio funcionamento do modelo. Isso significa que a equipe pôde avaliar melhor – entre outros itens – elementos como piloto automático, motores, baterias, rádio, mostradores, aerodinâmica, viabilidade estrutural e performance do time de solo.

Difícil não ver a beleza dessas cenas, não é?

O próprio Zuckerberg fez questão de acompanhar esse voo de estreia presencialmente, reforçando sua convicção sobre a importância da internet na vida das pessoas – afetando diretamente campos como educação e saúde. Além da proposta mundial de inclusão digital, o plano do fundador do Facebook também deve permitir que ainda mais internautas usem os serviços atuais e futuros da companhia – da rede social até as iniciativas de inteligência artificial e realidade virtual.

Por hora, não se sabe exatamente quando o projeto vai ser implementando oficialmente em escala global, já que isso ainda vai exigir etapas mais complexas de desenvolvimento que vão de acordos com o governo de diversos países, mudanças nas regras de uso do espaço aéreo e até novas discussões sobre privacidade. Mesmo assim, não deixa de ser interessante imaginar que, em um futuro próximo, o mundo possa estar realmente e completamente conectado.

FONTE(S)

Share this
20 jul 2016

Vazou! Veja as primeiras imagens do iPhone 7 com a tela ligada

A o que parece, uma vez líder em escapar de vazamentos, agora a Apple está vacilando na segurança de seus smartphones: imagens contínuas do próximo iPhone 7 vêm aparecendo pela internet e, agora, as primeiras fotos do aparelho com a tela ligada acabam de surgir.

Certas questões sobre hardware ainda não foram respondidas. Porém, aparência? Já sabemos que ele será bem similar ao iPhone 6s. Construção? Basicamente, a mesma coisa. Sistema? Sim, iOS 10. As dúvidas pairam mais no que toca o nome correto do processador, quantidades de armazenamento, portas disponíveis etc.

As imagens vazadas originalmente na rede social Weibo mostram um iPhone 7 na cor “ouro rosa” em quatro fotos. Para notar: a primeira foto que aparece na galeria mostra um smartphone com câmera dupla, de um vazamento diferente. Ou seja: nada é oficial, visto que as próprias imagens divulgadas se contradizem.

Acompanhe

FONTE(S)

Share this
20 jul 2016

Site indica se Pokémon GO já chegou ao Brasil

Lançado há menos de um mês, Pokémon GO já é um verdadeiro sucesso em diversas partes do mundo. A influência do game vai além do mundo mobile, já tendo resultado na criação de serviços de “passeios guiados” e em algumas histórias bastante bizarras envolvendo temas como assassinatos.

Ainda não há confirmação de quando o jogo chega oficialmente ao Brasil, o que inspirou a criação de diversas brincadeiras. Entre elas está o site “Have Pokémon GO in Brazil”, dedicado inteiramente a informar se o aplicativo foi lançado oficialmente por aqui.

Infelizmente, até o momento que esta notícia vai ao ar, quem acessa a página se depara com uma figura chorosa de Pikachu acompanhado pela palavra “Não”. Esperamos que os rumores que apontam que o jogo pode chegar por aqui já na próxima quinta-feira (21) estejam certos e não tenhamos mais que lidar com as lágrimas da pobre criatura.

Share this
19 jul 2016

Pokémon Go chega ao Brasil na próxima quinta-feira

Pokémon Go chega ao Brasil na próxima quinta-feira

Boa notícia para os gamers de todo o Brasil: o Pokémon Go desembarcará em território nacional na próxima quinta-feira, conforme nota do Crunchyroll.Pt publicada na noite desta segunda (18).

O site cita o boletim sobre e-sports da Rádio Globo que ouviu uma fonte, segundo a emissora, bastante confiável, porém, mantida em sigilo.

Um argumento que reforça a informação é que o servidor brasileiro do jogo já aparece listado no site MMO Server Status, que monitora os servidores de jogos online.

O Pokémon Go é a febre virtual do momento. Prova disso é que consultoria SimilarWeb apurou que os jogadores passam em média 43 minutos por dia usando o programa, mais do que outros aplicativos bastante populares como WhatsApp, Instagram e Snapchat.

O jogo já está disponível para ser baixado tanto na App Store quanto na Play Store brasileira.

Share this
19 jul 2016

Pokémon Go chegou a mais 26 países – e nada do Brasil na lista

Os problemas que forçaram a Niantic a interromper a distribuição de Pokémon Go parecem ter finalmente acabado. Isso porque o app foi disponibilizado no último sábado (16) para um total de 26 novos países, segundo um anúncio feito na fanpage oficial do game no Facebook.

Quem esperava ver o nome de nosso país na lista, porém, vai se decepcionar. Os países da vez a receberem o game são apenas da Europa, sendo eles os seguintes: Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Estónia, Finlândia, Grécia, Groenlândia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polónia, República Checa, Roménia, Suécia e Suíça.

A região não foi a única a receber suporte ao game de monstrinhos nos últimos dias, já que, no dia seguinte (17), tivemos o anúncio de que Pokémon Go estava disponível no Canadá. Antes disso, contudo, o jogo havia chegado a outros dos maiores países europeus – entre eles, Alemanha, Reino Unido, Itália, Espanha e Portugal.

Derrubando o game

É importante notar que as boas novas para o público europeu não vieram sem mais uma dose de problemas para o game. Pouco depois que o título chegou a todos esses países, Pokémon Go passou por alguns problemas de estabilidade em seus servidores, que deixaram o título novamente indisponível para várias pessoas durante o último fim de semana.

É aí que vem a parte mais complicada de toda a história: pouco depois do problema surgir, um grupo hacker intitulado OurMine afirmou que isso foi resultado de um ataque DDoS de autoria deles. Segundo o site TechCrunch, a equipe teria feito isso com o intuito de chamar a atenção da Niantic para uma série de falhas de segurança no app, e afirmou que não vai parar até que a desenvolvedora entre em contato com eles para lidar com esses problemas.

Obviamente, como tudo não poderia deixar de ficar mais complicado, outro grupo hacker chamado PoodleCorp também clamou a autoria da queda dos servidores – estes também através de um ataque DDoS.

A Niantic Labs, por outro lado, afirma que tudo foi resultado apenas da adição dos vários países, se resumindo a dizer que os problemas a causarem as falhas nos servidores foram identificados e que tudo foi corrigido. Seja isso apenas um problema causado por trazer uma enxurrada de jogadores ou por um ataque hacker (ou mesmo tudo isso junto), ao menos parece que o público lá fora vai poder voltar a jogar.

 

FONTE(S)

Share this
17 jul 2016

Jogador cria case com bateria que imita Pokédex para jogar mais Pokémon Go

Pokémon Go é muito legal. Todos amam, todos querem. Só que o jogo causa dependência. Geralmente, o jogador fica dependente das aventuras do game e não consegue mais parar de capturar os Pokémons.

Isso toma muito tempo, mas a gente tem que fazer alguns sacríficos para ser um mestre Pokémon, né? Só que o novo jogo da Nintendo também compromete o GPS, o plano de dados móveis, a tela e até o plano de dados móveis dos jogadores.

O problema é que geralmente só tem duas formas de resolver isso: com uma bateria portátil ou com uma tomada. Para conseguir resolver parcialmente esse inconveniente da bateria, um jogador resolveu criar uma case com bateria acoplada. Falando assim, não parece nada de extraordinário, só que o grande charme dessa case é que ela imita uma Pokédex.

 

Ativando os poderes especiais de uma impressora 3D, este gênio desenhou uma case com um compartimento secreto na parte traseira para acomodar um circuito eletrônico e a bateria que vão garantir algumas horas a mais de Pokémon Go.

O componente energético acoplado tem capacidade de 2.600 mAh, que, dependendo do dispositivo instalado, poderia dar quase o dobro da autonomia. Além disso, o jogador colocou os três LEDs frontais na Pokédex, tal qual no modelo original.

Agora, resta aguardar até que a Nintendo copie a ideia (para ficar ainda mais rica) e faça cases compatíveis com principais os smartphones.

FONTE(S)

Share this
17 jul 2016

Saiba quais são os 10 países com a internet mais veloz do mundo

Hoje é um dia que você vai ficar um pouco mais triste, já que vai descobrir que o Brasil está bem longe do ranking de países com a internet mais rápida do mundo. A provedora norte-americana Akamai analisou dados de velocidade de conexão para montar um ranking global com 146 nações. Sabe qual é a posição do Brasil? 95° lugar.

Nesta posição, as operadoras brasileiras registraram uma velocidade média de 4,5 Mpbs, um número considerável abaixo da média global, que é de 6,3 Mbps — aliás, velocidade suficiente para assistir filmes na Netflix e jogar online mais leves de maneira razoável.

Apesar desse 7×1 que tomamos no quesito velocidade, o Brasil está muito bem colocado em outro quesito: a quantidade de IPs únicos registrados. No ranking global, estamos em 3° lugar, alcançando 48.342.314 de IPs. Veja na imagem:

Agora, para tristeza geral da nação — ou para termos os números como meta —, você vai acompanhar os 10 países com a internet mais rápida do mundo.

10. Finlândia

  • Velocidade média da internet: 17,7 Mbps

9. República Checa

  • Velocidade média da internet: 17,8 Mbps

8. Holanda

  • Velocidade média da internet: 17,9 Mbps

7. Japão

  • Velocidade média da internet: 18,2 Mbps

6. Letônia

  • Velocidade média da internet: 18,3 Mbps

5. Suíça

  • Velocidade média da internet: 18,7 Mbps

4. Hong Kong

  • Velocidade média da internet: 19,9 Mbps

3. Suécia

  • Velocidade média da internet: 20,6 Mbps

2. Noruega

  • Velocidade média da internet: 21,3 Mbps

1. Coreia do Sul

  • Velocidade média da internet: 29 Mbps

FONTE(S)

Share this

© 2014 JdWeb Hospedagem. All rights reserved.

Click Me
WordPress and WHMCS integration by i-Plugins